Notificações de acidentes de trabalho saltam 50% no Ceará em 12 anos


Entre os anos de 2007 e 2018, as notificações de acidentes de trabalho
cresceram 50% no Ceará, segundo mostra levantamento do Observatório de
Segurança e Saúde do Trabalho. O aumento, em números absolutos, foi de
4.184 registros. A estatística coloca o estado em 12º lugar no ranking
brasileiro de ocorrências e em 2º lugar no Nordeste.

Um caso recente que ganhou repercussão foi o de dois operários que
ficaram pendurados por cordas após caírem de um prédio em obras no
Bairro Aldeota, em Fortaleza. O acidente aconteceu em novembro. Os
funcionários foram resgatados e tiveram apenas escoriações leves.

De acordo com o levantamento do Observatório, o ano passado fechou com
12.517 notificações no Ceará, e um total de 623,8 mil em todo o País.
Fortaleza concentrou 47% dos casos notificados de acidentes de trabalho
no estado, com 5.896. Em seguida, os municípios com mais registros são
Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e Sobral, na
Região Norte.

Outro dado evidenciado pela pesquisa é o dos setores econômicos em que
mais acontecem acidentes. Em 2018, a maioria dos casos ocorreu em
atividades de atendimento hospitalar, com 799 notificações. O setor
também lidera a lista de ocupações e cargos mais afetados. A todo, 587
registros vieram de técnicos de enfermagem.

Segundo Georgia Aragão, procuradora regional do trabalho da 7ª Região,
os registros em ambientes hospitalares envolvem acidentes com objetos
perfurocortantes e transtornos mentais e físicos causados pela exaustão
da jornada de trabalho. “Estamos iniciando um projeto que vai
conscientizar hospitais para que sejam notificadas de forma correta
essas ocorrências”, comenta.
Óbitos

O Ceará também registrou 58 óbitos causados por acidentes de trabalho só
no ano passado. Em todo o Brasil, ocorreram 2.000 mortes.

De acordo com o levantamento, o número real de acidentes pode ser maior,
uma vez que muitas pessoas não emitem a Notificação de Acidente de
Trabalho (CAT). No ano passado, 3.473 acidentes não tiveram a emissão da
CAT, o que representa 27,7% do número total de notificações (12,5 mil).
No Ceará, o Ministério Público do Trabalho atua com a Coordenadoria de
Defesa do Meio Ambiente de Trabalho para garantir segurança e saúde aos
trabalhadores com a prevenção de sinistros. “Quando são notificados os
casos, a gente procede com a investigação. Requisitamos a perícia no
local para verificar as causas do acidente e também recebemos relatório
da Superintendência Regional do Trabalho”, pontua a procuradora Georgia
Aragão.

Georgia ainda pondera que, após a aprovação da reforma trabalhista, as
relações de trabalho informal aumentaram e ficaram ainda mais
precarizadas, causando o descumprimento de normas de segurança do
trabalho. Sobre o aumento do número de notificações no Ceará, ela
considera um avanço no trabalho de conscientizar mas reconhece que “não
foi um aumento tão significativo”.

No Ceará, o Ministério Público do Trabalho atua com a Coordenadoria de
Defesa do Meio Ambiente de Trabalho para garantir segurança e saúde aos
trabalhadores no contexto da prevenção de sinistros. “Quando são
notificados os casos, a gente procede com a investigação. Requisitamos a
perícia no local para verificar as causas do acidente e também
recebemos relatório da Superintendência Regional do Trabalho”, pontua a
procuradora Georgia Aragão.

Georgia ainda pondera que, após a aprovação da Reforma Trabalhistas, as
relações de trabalho informal aumentaram e ficaram ainda mais
precarizadas, causando o descumprimento de normas de segurança .
O POVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *