Duas pessoas são autuadas por crime ambiental após provocar incêndio em vegetação

Dois homens foram detidos, nessa sexta-feira (13), e encaminhadas
para a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) para realização de
flagrante por crime ambiental. Os homens são suspeitos de provocar
incêndio em vegetação em um terreno localizado no bairro Coaçu, na Área
Integrada de Segurança 3 (AIS 3). Conforme apurado no local,
funcionários e crianças que estavam em uma creche próxima à propriedade
tiveram que sair mais cedo devido à grande quantidade de fumaça
proveniente do terreno.
Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) e do
Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA) da Polícia Militar do Ceará
(PMCE) foram acionadas via Coordenadoria Integrada de Operações de
Segurança (Ciops) para um incêndio, na Rua Santa Lúcia. No local
acontecia um incêndio que estaria prejudicando o funcionamento de uma
creche próxima ao terreno.
Os profissionais de segurança se deslocaram para o endereço e
localizaram as chamas. Enquanto os bombeiros tentavam apagar o fogo, um
funcionário e o dono da propriedade davam explicações para os policiais
militares sobre o motivo de terem provocado o incêndio na vegetação. De
acordo com os policiais, o fogo foi provocado para realização de limpeza
do terreno, porém não havia permissão. Próximo ao imóvel, os
funcionários e as crianças de uma creche tiveram que interromper o
expediente devido à grande quantidade de fumaça.
Diante das circunstâncias, os dois homens foram conduzidos à unidade
especializada da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), onde foram
autuados em flagrante no artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais, por
causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou
possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade
de animais ou a destruição significativa da flora. Os investigados
prestaram depoimento na delegacia e foram liberados após pagamento de
fiança. Eles vão responder pela infração em liberdade. Um inquérito
policial foi instaurado para apurar o fato.

(SSPDS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *