Polícia Civil e PM executam ação em Ipu e Crateús, que resulta na prisão de ipuense e um militar de Crateús

Após investigações da Polícia Civil de Ipu, a frente o delegado Dr.
Rômulo de Oliveira Melo, a solicitação junto a justiça de Mandado de
Busca e apreensão e o pedido de apoio por parte da Polícia Militar, uma
ação executada pelas Forças Especializadas da Polícia Militar em Ipu e
Crateús, nesta quarta-feira (27/11), resultou na prisão de um jovem da
cidade de Ipu e um militar de Crateús. Um revólver calibre 38, usado
para lesionar desafeto de um dos acusados foi apreendido. 
Nesta quarta-feira (27/11) por volta dás 06h00 da manhã, a Patrulha Alfa
do 04BPChoque-Bepi-Divisas, recebeu um mandado de busca e apreensão na
cidade de Ipu-CE, para residência do Matheus, o mesmo falou que usou uma
arma (revólver cal 38.) na sexta-feira (22/11) pra lesionar um
desafeto, mas que usou a coronha da arma, pois a mesma não disparou, e
que o Carlos Henrique é o dono da arma.
Matheus foi conduzido para Crateús, onde mostrou a casa do Soldado do
exército Henrique, que ao encontrar a residência do Henrique, a mulher
que estava na casa autorizou a entrada no domicílio, falando que o
Henrique morava lá, pois era amigo do filho dela Luzenon, que ambos
serviam no 40 BI em Crateús, e que o Henrique ficava em um dos quartos,
que ao ser feito a busca na residência, foi encontrado dentro da mochila
do mesmo, um revólver cal 38, com 01 munição deflagrada.
A equipe ao chegar no 40 BI atrás do Henrique que estava de serviço, o
mesmo não foi encontrado, mas chegando na DPC de Crateús, a equipe Raio,
CMT do 2º SGT Daniel, conseguiu conduzir o Henrique para a Delegacia de
Crateús, onde o mesmo confirmou que o revólver estava na casa onde ele
estava morando com seu amigo e a mãe desse amigo, que eles não sabiam
dessa arma,  cuja arma pertencia ao Matheus que era seu amigo e que
morava na cidade do Ipu.
Foi feito o procedimento por posse ilegal de arma de fogo uso proibido.
Lavrado o flagrante em desfavor do Henrique e do Matheus, este último
como coautor do delito e testemunha da posse da arma do Henrique, os
dois foram apresentados ao delegado e assim feito os procedimentos
legais cabíveis.
(Repórter Francisco José)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *