Polícia Civil deflagra operação contra empresa investigada por falsificar certificação de gás em Fortaleza e Natal

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) deflagrou, nesta
quinta-feira (21), uma operação contra uma empresa investigada por
falsificar documentos de certificação de gás em processo de aquisição
pelo Estado. As ações policiais da Operação Hélio 6.0 são conduzidas
pelo Departamento de Recuperação de Ativos (DRA), por meio da Delegacia
de Combate à Corrupção (Decor), com apoio da Polícia Civil do Rio Grande
do Norte (PCRN) e dos Corpos de Bombeiros Militar dos Estados do Ceará
(CBMCE) e Rio Grande do Norte (CBMRN). Ao todo, cinco locais apontados
pelas investigações são alvos de mandados de busca e apreensão, em
Fortaleza e Natal (RN).
Os investigadores da Delegacia de Combate à Corrupção (Decor)
chegaram ao nome da empresa distribuidora de gás, sediada no bairro de
Candelária, em Natal, após receberem relatório da Perícia Forense do
Estado do Ceará (Pefoce) comunicando a suspeita sobre a documentação
apresentada pela empresa que certificaria a qualidade do gás hélio
ultrapuro 6.0, em processo de aquisição para utilização do órgão de
perícia cearense.
Após ser questionada por servidores da Pefoce, a empresa potiguar
forneceu documentos e certificações alegando que o produto em questão
estaria em conformidade com os padrões de qualidade. A partir deste
retorno, a Pefoce entrou em contato com a empresa responsável pela
fabricação e certificação do gás, que negou qualquer emissão de
certificado de qualidade para a distribuidora potiguar. Tampouco os
modelos de certificados emitidos pela empresa coincidiam com os
originais da empresa certificadora.
Diante das inconsistências dos documentos, a Delegacia de Combate à
Corrupção (Decor) reuniu outras provas da possível prática de crime
contra a administração pública que colaborassem para o deferimento dos
mandados de busca e apreensão em alvos da empresa, que incluíram a sede e
endereços dos proprietários. Os mandados da Operação Hélio 6.0 foram
cumpridos em Fortaleza e em Natal, onde foram recolhidos diversos
documentos, bem como cilindros utilizados para armazenar os gases. Todo o
material será analisado no curso das investigações. Após a detecção da
inconsistência e início das investigações, a Perícia Forense do Estado
do Ceará (Pefoce) suspendeu o processo de aquisição.
Os documentos e selos apreendidos serão enviados para o Núcleo de
Perícia Documentoscópica e Contábil (NUPDC) da Coordenadoria de Perícia
Criminal (Copec) da Pefoce, para verificar a autenticidade do material
recolhido, no intuito de descobrir se houve manipulação ou adulteração
nos dados, nas assinaturas, nos selos, entre outros detalhes.
(SSPDS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *