Doação de órgãos de Gugu Liberato ajudará cerca de 50 pacientes

Após confirmação da morte
cerebral de Gugu Liberato na noite de sexta-feira, 23 de novembro de 2019, a
família do apresentador autorizou a doação de total órgãos em comunicado oficial.

Por meio da doação, o hospital
Orlando Health Medical Center estima que ao menos 50 pacientes serão
beneficiados.
Gugu Liberato morreu após cair de
uma altura de quatro metros enquanto consertava o ar-condicionado de sua casa.
Crédito: Antonio Chahestian/TV Record
 “Atendendo a uma vontade dele, a família
autorizou a doação de todos os órgãos. Gugu sempre refletiu sobre os
verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos
deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a
saudade, ficam as lembranças – que são muitas – e a certeza que Deus recebe
agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz”,
comunicou a assessoria de imprensa do apresentador.

Gugu Liberato caiu de uma altura
de cerca de quatro metros, quando fazia um reparo no ar condicionado, causando
uma lesão na cabeça com sangramento intracraniano.

Como se tornar um doador de
órgãos?

Segundo o Ministério da Saúde, é
necessário seguir alguns passos para tornar-se um doador de órgãos. O primeiro
deles é conversar com sua família sobre sua decisão e deixar claro que eles
devem autorizar a doação. Aqui no Brasil, ela só é feita após autorização dos
familiares.

Caso a autorização do doador
esteja devidamente registrada, também há chances de ser aceita, caso haja
decisão judicial. Portante, orienta-se que a pessoa que deseja ser doador de
órgãos e tecidos comunique sua vontade à família.

Existem dois tipos de doador:

Doador vivo: pode ser qualquer
pessoa que concorde com a doação, desde que não prejudique a sua própria saúde.
O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea ou
parte do pulmão. Pela lei, parentes até o quarto grau e cônjuges podem ser
doadores. Não parentes, só com autorização judicial.

Doador falecido: são pacientes
com morte encefálica, geralmente vítimas de catástrofes cerebrais, como
traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral).

Os órgãos doados vão para
pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única,
definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada estado e
controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT).
Saiba mais sobre cada tipo de
órgãos, tecido e confira todos os detalhes no site oficial do Ministério da
Saúde.

Catraca Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *