Após quatro anos de surto, desafio de crianças com microcefalia congênita segue no Ceará


No Ceará, segundo a Secretaria da Saúde (Sesa), 163 casos de
microcefalia congênita foram confirmados desde 2015. Passados quatro
anos do surto, que aconteceu entre 2015 e 2016, segue o desafio de
acompanhar os nascidos com a doença e quem convive com a criança.

No interior, as mães recorrem aos Núcleos de Estimulação Precoce (NEPs),
presentes nas 19 policlínicas regionais do Estado. Os equipamentos
disponibilizam atendimento a crianças com distúrbios neuropsicomotores,
entre eles, a microcefalia. Além disso, o atendimento conjunto entre
pais e profissionais é essencial para o desenvolvimento das crianças. “A
gente orienta às mães como fazer em casa”, explica o terapeuta
ocupacional Venceslau Araújo.

Segundo a Sesa, os NEPs começaram a ser implantados em 2016. Até agosto
deste ano, 965 atendimentos foram realizados nas unidades regionais.
Destes, 85 são referentes a crianças com microcefalia.
O POVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *