Terra volta a tremer no Sertão Central do Ceará

O sertão do Ceará voltou a apresentar atividade sísmica nesta
quinta-feira (25), segundo dados do Laboratório Sismológico da
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN). Desta vez, um
tremor de magnitude 3.2 foi registrado na cidade de Quixeramobim. Na última quarta-feira (24) foram contabilizados mais de 100 abalos nas cidades de Madalena, Quixeramobim e Boa Viagem. Desde o dia 17 de março deste ano, o LabSis registrou mais de 1.200 tremores na região. 
Segundo o Laboratório, o abalo em Quixeramobim foi registrado às 21h44 e
sentido nas localidades de Fogareiro, São Joaquim, Agrovila de
Passagem, Carnaubinha, Veneza do distrito de Manituba, Poço Cercado do
distrito de Damião Carneiro e povoado de Pau Ferro. 
De acordo com a Defesa Civil de Madalena, além de Quixeramobim, há
relatos de tremores também em diversas localidades de Madalena e Boa
Viagem, cidades do Sertão Central. Em nota, o órgão comunicou que o
município está em alerta e fazendo monitoramento da situação. 
Moradores da região relataram ter ouvido estrondos na zona urbana dos
municípios. O agricultor Ervaldo Galdino Medeiros, 44, que reside em Boa
Viagem, está entre as pessoas que escutaram o barulho. “Foi um estrondo
muito forte e durou alguns segundos, que deixa sem saber o que fazer”,
descreve. 
Já na comunidade de Bom Socorro, zona rural de Boa Viagem, o barulho
foi acompanhado do tremor. É o que afirma a moradora identificada como
Rosiany. “Não sei dizer o tempo que durou, mas deixou agente preocupado e
bastante apavorado”, disse. 
De acordo com o sismólogo Eduardo Menezes, do LabSis, este é um momento
de muita atenção, pois a atividade sísmica da região pode parar de
repente ou gerar um terremoto de maior magnitude. 
Durante a madrugada de quarta-feira (24), foram registrados 102
tremores de baixa intensidade na região. O maior abalo registrado foi de
magnitude 2.5, ocorrido às 2h46 na cidade de Boa Viagem.
(G1/CE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *