Ipu, Pires Ferreira e mais 30 municípios realizam cadastramento da biometria, que será obrigatória nas eleições de 2020

Obrigatório nas eleições de 2020, o cadastro
biométrico está sendo realizado, atualmente, em 32 municípios cearenses.
Outras três cidades tiveram o prazo encerrado nesta sexta-feira (26) –
Parambu, Orós e Ipaumirim – e 12 devem iniciar o processo a partir do
dia 2 de agosto. Em Fortaleza, 44% dos 1.776.365 eleitores aptos a votar
ainda precisam fazer o recadastramento biométrico.
De acordo com a Justiça Eleitoral, o eleitor deve agendar a visita pelo telefone 148
e se dirigir, portando documento de identidade com foto e comprovante
de endereço, ao cartório eleitoral de seu município. Eleitores com 18
anos completos (ou a completar) em 2019 devem levar também certificado
de alistamento militar.
Em Fortaleza, o prazo vai até o dia 29 de novembro. “Nós temos
condição de fazer um atendimento razoável, com muitos guichês
funcionando. Necessita apenas que a população se sensibilize para fazer
logo a biometria, e não deixar para última hora. No momento, é possível
fazer seu cadastro com conforto, dentro da hora e do dia que escolher”,
afirma Anderson Frota, chefe da Central de Atendimento ao Eleitor.
Confira os municípios que estão realizando o cadastro e o prazo final:
Quixeramobim – 31/10
Acopiara – 30/08
Beberibe – 27/09
Tauá – 30/08
Morrinhos – 27/09
Santana do Acaraú – 27/09
Massapê – 27/09
Reriutaba – 30/08
Ipu – 30/08
Pires Ferreira – 30/08
Ipueiras – 27/09
Varjota – 31/10
Nova Russas – 30/08
Tamboril – 27/09
Poranga – 27/09
Ararendá – 30/08
Independência – 27/09
Novo Oriente – 27/09
Quiterianópolis – 27/09
Senador Pompeu – 31/10
Solonópole – 31/10
Piquet Carneiro – 31/10
Ererê – 31/10
Milhã – 31/10
Alto Santo – 18/10
Tabuleiro do Norte – 31/10
Assaré – 31/10
Campos Sales – 31/10
Saboeiro – 20/09
Iracema – 23/08
S. João do Jaguaribe – 31/10
Tarrafas – 31/10
Salitre – 31/10
Pacujá – 30/08
Antonina do Norte – 31/10
Títulos cancelados
Quem teve o título cancelado por não ter realizado o cadastro
biométrico pode regularizar a situação indo ao cartório eleitoral com RG
e comprovante de endereço. O processo, nesses casos, costuma ser mais
demorado, pois a atualização de cadastro é feita pelo Tribunal Superior
Eleitoral.
Além da impossibilidade de votar, o cidadão com título cancelado
sofre algumas outras sanções, como ficar impedido de obter passaporte ou
nova carteira de identidade, renovar matrícula em estabelecimento de
ensino público, inscrever-se para concurso público, tomar posse em cargo
público, receber vencimentos de função pública, participar de
concorrência pública e obter empréstimo de órgão público.

(Diário do Nordeste)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *