Grupo se disfarça de policiais federais e rouba 720 kg de ouro em aeroporto de São Paulo

Um grupo de criminosos roubou cerca 720 kg de ouro – cujo valor estimado supera R$ 120 milhões – de uma empresa de transporte de valores no interior do aeroporto de Guarulhos
(Grande SP), em uma ação inédita na tarde desta quinta-feira (25). O
bando estava disfarçado de policiais federais e usou, inclusive, viaturas clonadas.
Segundo informações da Polícia Civil e da Polícia Militar, os criminosos fizeram refém a família de um funcionário
da empresa que, sob ameaça, teria ajudado na operação dos bandidos.
Mesmo armados com fuzil e pistolas, não precisaram realizar nenhum
disparo.
Procurada pela reportagem, a empresa Brinks afirmou
que “está colaborando com as autoridades competentes para apuração do
ocorrido”, mas não deu outras informações. Não está claro ainda a quem
pertencia a carga.
Segundo imagens obtidas pela reportagem, toda a ação dentro do terminal durou cerca de 2 minutos e 30 segundos.
Para agilizar, os criminosos utilizaram os funcionários do terminal e
uma empilhadeira para transferir a carga para dentro de uma das
caminhonetes utilizadas no roubo.
As duas caminhonetes utilizadas no roubo foram abandonadas no final
da tarde em um terreno na zona leste da capital. Todos os reféns,
segundo a polícia, foram libertados e prestam depoimento no Deic
(Departamento Estadual de Investigações Criminais) na noite desta
quinta. Representantes da Brinks também prestavam esclarecimentos. A
polícia tenta localizar os veículos e os bandidos, que ainda estão em
fuga. Policiais civis, militares e da Polícia Rodoviária Federal
participam da operação.
De acordo com a concessionária responsável pelo Aeroporto
Internacional de São Paulo, em Guarulhos, a GRU Airport, o roubo ocorreu
por volta das 14h30, no armazém de exportação do Terminal de Cargas.
Ainda segundo a empresa, oito homens armados, a bordo de dois
veículos simulando viaturas da Polícia Federal, entraram no armazém,
abordaram os agentes do Terminal de Cargas e levaram 750 kg de metais preciosos, incluindo os 720 kg de ouro, que seguiriam para Zurique e Nova York. Não houve feridos.
A GRU Airport informou, por fim, que não foi prejudicada a operação
de embarque e desembarque do aeroporto. “A ação está sendo investigada
por todas as autoridades de polícia em atuação no aeroporto. Mais
informações serão divulgadas conforme as conclusões.”
Viaturas clonadas
As viaturas caracterizadas como sendo da Polícia Federal foram
abandonadas dentro de um depósito em uma rua da região do Jardim
Pantanal, zona leste, que fica a cerca de 12 quilômetros do aeroporto.
Foi nesse terreno que os bandidos fizeram o transbordo dos metais
preciosos roubados para outras duas caminhonetes, de cor branca, e
fugiram para o interior do estado. As viaturas clonadas passaram por
perícia e foram enviadas ao pátio da polícia.
Alguns moradores que viram a chegada dos criminosos afirmam que a
ação foi discreta. Um morador da rua disse que, do alto de uma casa, viu
os criminosos descarregarem veículos. “Estavam encapuzados e armados
até os dentes. Foi rápido, depois deixaram o refém e já era.” O dono e
os funcionários do galpão onde o ouro foi transferidos foram levados ao
Deic para prestar depoimento -eles são tratados como testemunhas.
À reportagem, um funcionário do terreno disse que tinha saído do local quando os bandidos chegaram.
Atraídos pela presença da polícia, curiosos cercaram o local, o que
levou a polícia a disparar algumas bombas sonoras para afastar a
população. Após a polícia sair do local, os donos do imóvel tentavam
expulsar moradores que queriam pular o muro para procurar ouro.
(Diário do Nordeste)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *