Cargos federais são distribuídos entre cearenses pró-reforma da Previdência

 

Depois da liberação de emendas de
autoria de deputados cearenses às vésperas da votação da reforma da
Previdência, o Governo Federal abriu as negociações com os 11
parlamentares da bancada que votaram a favor da proposta em primeiro
turno para indicação de apadrinhados em órgãos federais no Estado.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) afirma, desde o início
do mandato, que não pratica “toma lá, dá cá” com o Congresso. Apesar do
discurso, o que se viu na prática, do início do mês de julho até o dia
da votação da reforma da Previdência, foi o oposto. O Governo liberou
mais de R$ 175 milhões em emendas ao Ceará. 
 
 
E as indicações para órgãos federais no Estado, que estavam emperradas
há mais de quatro meses, em meio às exigências tanto de parlamentares
quanto do Palácio do Planalto em torno do apoio à reforma da
Previdência, parece que, agora, vão sair do papel. 
 
 
A sinalização foi dada, na última quinta-feira (11), em reunião do
ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, com os 11
deputados da bancada cearense que votaram a favor da reforma da
Previdência. 
 
 
Capitão Wagner (Pros) participou da reunião, mas, como votou contra a
reforma, deve ficar de fora das indicações. Na reunião, eles trataram
das nomeações para cargos no Ceará. Segundo um deputado presente no
encontro, o Governo deixou claro que quem for aliado vai ter espaço na
máquina pública; quem não for, não vai ter “nada”. 
 
 
Os parlamentares devem entregar os currículos dos apadrinhados ao longo
desta semana e o Governo avaliará se os nomes preenchem critérios
técnicos. “Se tiver problema (com ficha suja), não vai ser aceito”,
disse um deputado.
Distribuição na bancada
  • Genecias Noronha (SD): Dnocs
  • Moses Rodrigues (MDB): Companhia Docas do Ceará
  • Domingos Neto (PSD): Fundação Nacional de Saúde (Funasa)
  • Jaziel Pereira (PL): Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra)
  • Antônio José Albuquerque (PP): Geap – Auto Gestão em Saúde
  • Vaidon Oliveira (Pros):  Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai)
  • Júnior Mano (PL): Secretaria de
    Patrimônio da União (SPU), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico
    Nacional (Iphan) e  Superintendência Regional da Receita Federal
  • Heitor Freire (PSL): Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Funai
  • Pedro Bezerra (PTB): Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT)
  • Roberto Pessoa (PSDB): Superintendência da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)
  • Aníbal Gomes (DEM): uma diretoria da Companhia Docas
Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *