‘Sua Cara’ é o 7º mais visto do YouTube nas primeiras 24 horas

 
O esperado clipe da música “Sua Cara“, do trio de música eletrônica estadunidense Major Lazer, bateu 18 milhões de visualizações nas primeiras 24 horas no YouTube. Com letra em português, a música conta com a participação das estrelas do pop nacional Anitta e Pabllo Vittar.
Lançado às 17 horas desse domingo, 30, “Sua Cara” desbancou “Can’t
Remember To Forget You”, de Shakira em parceria com Rihanna, e ficou em
sétimo lugar na lista do YouTube.
Até às 18 horas desta segunda-feira, “Sua Cara” já tinha 19.271.043
visualizações. Ela ficou atrás de “Wrecking Ball”, de Miley Cyrus.
Adelle lidera com os  27.7 milhões de “Hello”. Todas as músicas que
ficaram na frente do clipe do Major Lazer são cantadas em inglês ou
espanhol, como no caso de “Despacito”. Confira:
“Hello”, Adele (27.7 milhões)
“Despacito”, Luis Fonsi com Daddy Yankee e Justin Bieber (23.7 milhões)
“Bad Blood”, Taylor Swift com Kendrick Lamar (20.1 milhões)
“Gentleman”, Psy (20 milhões)
“Anaconda”, Nicki Minaj (19.6 milhões)
“Wrecking Ball”, Miley Cyrus (19.3 milhões de visualizações)


blog. o povo

Janot volta a pedir prisão de Aécio Neves ao Supremo

 

A Procuradoria-Geral da República (PGR), por meio do procurador Rodrigo Janot, entrou nesta segunda-feira (31) no Supremo Tribunal Federal (STF) com novo recurso pedindo a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG). A PGR pretende anular decisão anterior do ministro Marco Aurélio, que negou outro pedido de prisão e determinou o retorno do parlamentar, no mês passado, às atividades no Senado.
É o terceiro pedido sucessivo feito pela procuradoria para prender o
senador. Dois foram rejeitados desde a homologação da delação premiada
da JBS. A questão será analisada pela Primeira Turma da Corte, composta pelos ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luiz Fux e Luís Roberto Barroso,
além do relator. No mês passado, Marco Aurélio manteve decisão anterior
de negar o pedido de prisão preventiva do senador, mas proibiu Aécio de
deixar o País e de fazer contato com outros investigados ou réus no
processo.
Antes da decisão de Marco Aurélio, Aécio Neves estava afastado da
atividade parlamentar por uma decisão do antigo relator do caso,
ministro Edson Fachin. Aécio foi citado pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, e um de seus depoimentos de delação premiada. Joesley contou aos procuradores que Aécio lhe pediu R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Operação Lava Jato.
À época, a defesa de Aécio comemorou a decisão de Marco Aurélio e o
senador disse que sempre acreditou Justiça e que seguiria “no exercício
do mandato que me foi conferido por mais de 7 milhões de mineiros, com a
seriedade e a determinação que jamais me faltaram em 32 anos de vida
pública”, declarou em nota.
  Diário do Nordeste

Mulher é assassinada e outra é baleada ao lado do Terminal do Siqueira

A mulher sobrevivente teria sido, supostamente, a mandante da execução de um homem, uma hora antes de ser baleada

Uma mulher foi assassinada a tiros ao lado do Terminal de Ônibus do Siqueira e outra foi baleada e correu para dentro do equipamento público, na tarde desta segunda-feira (31), em Fortaleza.
De acordo com o supervisor do Comando de Policiamento da Capital (CPC), capitão J. Oliveira, um grupo chegou em um veículo e atirou contra as duas mulheres, que estavam juntas, por volta de 15h40.
Uma mulher morreu no local. A outra, baleada, correu para dentro do Terminal, foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada a uma unidade de saúde. As duas mulheres ainda não foram identificadas pela Polícia.
Mulher morta terminal Siqueira
Conforme o capitão Oliveira, a mulher sobrevivente teria sido, supostamente, a mandante da execução de um homem, às 14h30, também no bairro Siqueira. Um grupo criminoso descobriu que ela encomendou o crime e a procurou para fazer vingança.

Segundo o supervisor do CPC, os dois homicídios foram motivados pela briga entre facções criminosas pelo domínio da área para realizar o tráfico de drogas.

 Diário do Nordeste

Desembargadora que pessoalmente tirou filho traficante da cadeia, deverá ser punida pelo CNJ (veja o vídeo)

 

A atuação sinistra da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato
Grosso do Sul (TER-MS) deverá receber severa punição por parte do Conselho
Nacional de Justiça (CNJ).

A denúncia feita pelo Jornal da Cidade Online e repercutida neste
domingo (30) pelo programa Fantástico da Rede Globo (veja o vídeo no final da
matéria), ganhou enorme repercussão, evidenciando uma repugnante atuação da
magistrada em favor do filho, Breno Fernando Solon Borges, flagrado
transportando 129 kg de maconha, munição e arma.
O envolvimento do rapaz com drogas é antigo. Mesmo ciente da situação, a
desembargadora Tânia Borges cedia sua monumental chácara localizada na estrada
EW 5 no loteamento denominada Chácara dos Poderes, em Campo Grande (MS), para
que o rapaz promovesse festas regadas a muita bebida, drogas e orgias. 
O
local era também utilizado para que o rapaz realizasse negócios e negociatas no
submundo do crime.
A mãe, no mínimo, desconfiava da vida torta do filho, fato revelado numa
gravação capturada pela Polícia Federal, onde o rapaz trama atos marginais com
um outro traficante, mas comenta que precisaria retornar para Campo Grande, ‘para
que a mãe não desconfiasse’.
No
dia 8 de abril, Breno foi preso em flagrante.
Neste domingo (30) o Fantástico revelou que a desembargadora foi
pessoalmente ao presídio para soltar o filho. Para tanto, ela ignorou os
procedimentos legais e deu a velha ‘carteirada’ para conseguir a liberação do
rapaz.
Abaixo veja o vídeo completo.

Jornal da Cidade Online

Cantor Renner, que fez dupla com Rick, diz que passa dificuldades e se arrepende de erros

 
Apesar de estar tentando uma nova fase na música, o cantor tem passado por momentos difíceis e decidiu contar tudo o que ocorreu.
Cantor Renner, que fez dupla com Rick, diz que passa dificuldades e se arrepende de erros

Renner foi um dos cantores mais prestigiados do Brasil e, em sua entrevista dada à Record, garante que se arrepende dos erros e que mudou.

Ele lembra que experimentou de tudo e que isso o ajudou a perceber os desvios que teve na vida.

O ex-parceiro de Rick teve sucesso, fama, dinheiro, mas agora passa dificuldades, desde que sua vida foi parar nas páginas policiais. 

‘Não tenho dinheiro para o básico’, diz cantor Renner após polêmica da prisão

Um dos episódios mais recentes envolvendo Renner foi a prisão que ele teve ao dirigir completamente bêbado. Era o que faltava para tirá-lo de vez do mundo dos #Famosos

Ao ‘’Câmera Record’’, ele disse o que aconteceu depois que saiu dos holofotes. Renner conta que teve que se adaptar à vida e compara o que aconteceu em sua trajetória à mudança entre o frio e o calor.
Renner agradece a mãe por ajuda financeira: ‘Não sei o que seria de mim’ 
Sem condições financeiras, o ex-rico cantor agora vive praticamente na miséria e não tem dinheiro nem mesmo para o básico.

 

Quem o ajuda é a própria mãe, que não o abandonou nem nos piores momentos. 
“Eu acho que se não fosse pela minha mãe hoje, eu estava meio que… mas Deus abre uma porta”, desabafou o artista, que agradeceu o apoio da mãe em meio à turbulência que virou a sua vida. 
Ex-par de Rick, Renner está apaixonado. Cantor apresenta sua nova namorada: ‘Me apaixonei pelo Ivair, não pelo artista’

O programa da emissora de Edir Macedo também entrevistou Sara, a nova namorada do cantor. Ela disse que quando conheceu o famoso não sabia quem ele era. 

Sara diz que o que importa para ela é o Ivair, nome verdadeiro do ídolo que fez dupla sertaneja com Rick. Sara diz que ama a pessoa que Renner representa.
Renner monta nova dupla após fim da parceria com Rick
O profissional da música ainda disse que viveu momentos verdadeiramente difíceis quando era uma criança. O programa da Record, então, levou o artista para reviver o passado e ainda mostra sua nova dupla sertaneja, Renner e Rennan.
Reflexão Emovimento

Cinco homens morrem em troca de tiros com a Polícia em Aracati neste domingo

 
Cinco homens foram mortos durante troca de tiros com a Polícia Militar, na tarde deste domingo, 30, em Aracati,
no Litoral Leste. O confronto ocorreu durante abordagem da PM a um
veículo utilizado pelo grupo, que estaria se preparando para matar um
rival. Outros dois suspeitos foram presos, uma arma artesanal calibre 20
e três pistolas foram apreendidas. O oitavo suspeito, que foi baleado,
conseguiu fugir, de acordo com a Polícia.  
O POVO apurou que a PM
teria tomado conhecimento da ação e frustrou o homicídio planejado, mas
os suspeitos reagiram e empreenderam fuga. Durante a perseguição, os
homens abandonaram o veículo Prisma no qual estavam e entraram em um
matagal. 
Alguns já estavam baleados e morreram no local. Os
demais teriam sido mortos em nova troca de tiros com os policiais. A
operação continuava em andamento até por volta das 17h30min. Os
destacamentos da PM de Aracati e de Fortim foram acionados, além do
Cotar (Comando Tático Rural) e de uma aeronave da Ciopaer (Coordenadoria
Integrada de Operações Aéreas).
A Secretaria da Segurança Pública
e Defesa Social (SSPDS) respondeu, em nota, que os presos e o material
apreendido foram encaminhados para a Delegacia de Aracati. Nenhum
policial foi lesionado, conforme a secretaria.
Trânsito
Durante
a tarde, motoristas relataram ao O POVO Online engarrafamento na
CE-040, próximo ao local da perseguição policial. A Polícia Rodoviária
Estadual (PRE) disse que não foi acionada para orientar o trânsito, mas
uma equipe deu apoio às diligências. 
 O Povo Online

‘Lembrava do Temer, passava a dor’, diz deputado que tatuou nome do presidente

Wladimir Costa (SD-PA) afirmou também que sua sétima tatuagem será o rosto do peemedebista e a frase “Temer, o maior estadista do Brasil”

Uma bandeira do Brasil e o nome “Temer”. Foi com esta tatuagem que o deputado Wladimir Costa (SD-PA) resolveu homenagear o presidente da República, Michel Temer. A tatuagem, que ele afirma ser real, foi feita na quinta-feira (27) e custou R$ 1.200, segundo o deputado. Costa diz ter parcelado o valor em seis vezes no cartão de crédito.
O deputado disse à reportagem ter outras cinco tatuagens pelo corpo e
conta como enfrentou a dor. “Doeu um pouco, mas eu lembrava do Temer,
passava a dor”, afirmou.
A sétima tatuagem Costa diz que fará na costela, logo após a votação da
denúncia contra Temer, na quarta-feira (2): o rosto de Temer com a
frase “Temer, o maior estadista do Brasil”. Nesta próxima tatuagem, que
será colorida porque “fica mais bonito”, ele pensa
também em registrar o rosto da primeira-dama, Marcela. “Um exemplo de
mulher brasileira, mulher guerreira”, justifica.
“Vai doer um pouquinho, mas toma umas cachaça e fica anestesiado. Aqui
no Pará tem cachaça de jambu, que anestesia tudo”, disse o deputado,
mencionando uma planta típica de seu Estado, que tem como característica
o poder de deixar partes do corpo dormentes.
“Amigos leais”
O deputado diz que a ideia das tatuagens surgiu para mostrar que o
presidente tem “amigos leais, que ele tem pessoas que estão pouco se
importunando com uma imprensa comprada para tentar derrubá-lo”, afirmou.
“Quem é Temer é Temer, não tem medo. Amigo é amigo. Vamos vencer dia 2
com a bênção de Deus. Deus está no comando”, disse o deputado, para quem
Temer terá entre 260 e 290 votos em
plenário. O deputado disse ainda que Temer é “muito homem para assumir
suas responsabilidades” e que “este crimezinho que estão querendo
colocar nele, nunca aconteceu e nunca vai acontecer”. Temer é acusado
pela PGR (Procuradoria-Geral da República) de corrupção passiva durante o exercício do cargo.
Tatuagens de Che, Lula e Fidel
O deputado disse também que Temer tem “uma das biografias mais
respeitadas deste país” e chamou de “vagabundo” quem tatua os rostos de
figuras de esquerda como Carlos Marighella, Che Guevara, Fidel Castro e do ex-presidente Lula.
“Já vi um vagabundo com tatuagem daquele patife do Marighella.
Vagabundo, terrorista. Já vi gente com foto do Lula. Pelo amor de Deus.
Lula é o maior bandido desta República. Gente com foto de Che Guevara e
Fidel Castro, falsos socialistas que só gostavam de Rolex e roupa de
grife. Temer tem uma das mais respeitadas biografias deste país”,
afirmou o deputado.
Diário do Nordeste

Homem é preso após empurrar ex-namorada grávida contra ônibus no Rio de Janeiro (Vídeo)

Lucas Florençano de Castro
Monteiro, de 25 anos, foi preso na última sexta-feira (28) após empurrar sua
ex-namorada, grávida de quatro meses, contra um ônibus no bairro de Botafogo,
na zona sul do Rio de Janeiro. De acordo com as investigações, Monteiro foi
detido temporariamente, acusado de tentativa de feminicídio.
A Polícia Civil declarou, através
de uma nota oficial, que a ex-namorada grávida 
compareceu à Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher do Centro
(DEAM), na quinta-feira (27), para prestar queixas contra Monteiro. 
Com uma perna imobilizada e diversos
machucados, a mulher informou que foi empurrada, na noite anterior, contra um
coletivo em movimento, e que a motivação para tal ato seria a resistência do
ex-namorado em aceitar a paternidade. Aos quatro meses de gestação, ela
acredita que o objetivo do acusado era matá-la junto de seu filho.
Coordenados pela Delegada Titular
Gabriela Von Beauvais, os agentes da delegacia colheram depoimentos de
testemunhas, compareceram ao local indicado pela vítima e, com a ajuda de
câmeras de segurança – que confirmaram a agressão –, um mandado de prisão
temporária foi expedido. Após realizarem buscas em diversos endereços da
cidade, encontraram Monteiro em um imóvel no bairro de Botafogo.
Após a verificação das imagens,
gravadas pelas câmeras de segurança de um edifício, foi comprovado que o
acusado empurrou a ex-namorada em direção a uma avenida no mesmo instante que
um ônibus se aproximava do local.
Entenda a Lei do Feminicídio
Sancionada por Dilma Rousseff em
março de 2015, a Lei do Feminicídio trata de crimes “contra a mulher por razões
da condição de sexo feminino”, ou seja, quando o delito envolve violência
doméstica e familiar ou “menosprezo ou discriminação à condição de mulher”, de
acordo com o texto da Lei Nº 13.104.
Ao modificar o Código Penal,
incluindo o crime entre os tipos de homicídio qualificado, a legislação prevê o
aumento da pena em um terço se o assassinato acontecer durante a gestação ou
nos três meses posteriores ao parto; se for contra adolescente menor de 14 anos
ou contra uma pessoa acima de 60 anos ou, ainda, contra uma pessoa com
deficiência. A pena também pode ser agravada quando o crime for cometido na
presença de descendente ou ascendente da vítima.
Segundo a justificativa do
projeto, 43,7 mil mulheres foram assassinadas entre 2000 e 2010, sendo que mais
de 40% da estatística se refere a mortes dentro de casa, na maior parte das
vezes, por companheiros ou antigos companheiros, como o caso da mulher grávida
que sofreu uma tentativa de feminicídio pelo ex-namorado.

 IG

Assassinato de jovem professora a marteladas choca o país

 
A professora, pesquisadora e
musicista Mayara Amaral, 27 anos, foi assassinada brutalmente na última
quarta-feira (26) em Campo Grande (MS). Três suspeitos foram presos, suspeitos
de terem matado Mayara a marteladas e queimado o corpo da vítima, que foi
encontrado em um matagal na rodovia MS-080, região conhecida como Inferninho.
O baterista Luiz Alberto Barros,
29, com quem Mayara tinha um relacionamento, confessou o crime. A polícia
encontoru na casa dele roupas da vítima, instrumentos musicais, computador
pessoal, telefone e os documentos de Mayara. O admitiu o assassinato e disse
que teve dois cúmplices: Ronaldo Olmedo, 33, e Anderson Pereira, 31. Os dois
negaram qualquer participação.
De acordo com o UOL, Barros disse
à polícia que atraiu Mayara para um motel. Segundo ele, o encontro era uma
emboscada para roubar o carro dela, um Gol 1992. Barros disse que Ronaldo
entrou no motel no porta-malas, com conhecimento dela, e os três teriam mantido
relações sexuais. Mayara percebeu a emboscada e teria tentado fugir, mas foi
espancada até a morte.
O assassino revelou que o corpo
foi colocado no veículo e levado à casa do terceiro suspeito. Lá, eles
enterraram o cadáver no quintal, mas depois o levaram para a rodovia. Em
seguida, provocaram o incêndio no matagal para dificultar a identificação.
A Polícia Civil informou que os
três homens presos vão responder por latrocínio e ocultação de cadáver. No
entanto, a irmã da jovem, a jornalista Pauliane Amaral, 31, contesta alguns
pontos da versão do único suspeito que confessou o crime, e acredita que ela tenha
sido vítima de estupro e feminicídio.
Pauliane também contesta a versão
do sexo a três consensual. “Eu não descarto a possibilidade de ela ter ido
com o Luís para o motel, já tinha ouvido alguma coisa de estarem numa relação
afetiva”. Mas a irmã rechaça a ideia de que Mayara tenha consentido a
participação de outro.
“Eles armaram uma emboscada,
um deles entrou escondido no motel, levaram martelo. Que sexo consensual é
esse? Se trata de estupro”, afirma Pauliane.
O CASO
Mayara saiu de casa na segunda (24)
para ensaiar. No dia seguinte, sem receber notícias da filha, a mãe, Ilda,
procurou uma das colega da musicista, que falou sobre uma possível ameaça de um
ex-namorado.
A mãe da vítima foi à polícia
registrar o desaparecimento e recebeu uma mensagem enviada do celular de
Mayara. “Ele [o ex] é louco, mãe. Está me perseguindo. Estava na casa dele
e brigamos feio”. A publicação destaca que, depois disso, o aparelho foi
desligado. A mensagem foi enviada depois que o corpo queimado já havia sido encontrado.
Na quarta (25), a polícia
identificou os suspeitos. A família aguarda a conclusão do laudo pericial para
confirmar a hipótese de estupro. As penas previstas para latrocínio variam de
20 a 30 anos, enquanto as do feminicídio, de 12 a 30 anos.
No almoço com a família neste
domingo (30) a musicista pretendia contar uma novidade: havia sido aprovada
para um doutorado em uma universidade de São Paulo. Infezlimente, não deu
tempo. A jovem Mayara Amaral foi brutalmente assassinada, o crime chocou o país
e reacende a discussão sobre o feminicídio, quando a motivação do assassinato
de uma mulher está ligada ao fato de ela ser mulher. 
Notícias ao Minuto

Tragédia na BR-324: Familiares de Tayrone Cigano estão entre as vítimas fatais na Bahia

 

 
Uma colisão envolvendo dois veículos por volta das 10 horas da manhã da
última quinta feira, 27 de julho, no Km 465 da BR 324, em Tanquinho de
Feira, distante 161 quilômetros de Salvador, deixou seis pessoas mortas e
duas feridas. Segundo informações apuradas, o acidente envolveu um Uno e
um Vectra. Os dois veículos ficaram destruídos com a força do impacto.
Quatro das vítimas estavam no Vectra. 
 
 
Dois feridos em estado grave foram socorridos para o hospital. Entre as
vítimas está um empresário de Candeias de nome Targino e a esposa, outra
pessoa identificada apenas pelo nome de Lopes, o nome das as outras
vítimas ainda não foi informado pela polícia, sabe se que são parentes
do cantor Tayrone Cigano. O trânsito ficou congestionado até no local. A
PRF atendeu a ocorrência e controlou o tráfego de veículos no local.
 
Extremo Sul.