Audiência Pública sobre a Saúde Pública de Ipu

“Eu não estou fechando nenhum Hospital em Ipu, o que estou fazendo é abrindo um novo” Essas foram as palavras do prefeito de Ipu, Sávio Pontes (PMDB) sobre o destino do Hospital filantrópico Dr. Francisco Araújo, apelidado pelo radialista Hélio Lopes de “Hospital do Povão”.

O Prefeito Municipal de Ipu, deixou bem claro que a partir de amanhã (01/03), todos os atendimentos hospitalares do município de Ipu, serão feitos no Hospital Municipal Dr. José Evangelista, que atualmente de acordo com dados CNES/2011 conta com 31 leitos, 21 a menos que Hospital filantrópico.

O Hospital Municipal desde último dia (26/02) passou a ser uma Autarquia Municipal de Saúde, tendo seu diretor o Dr. Pedro Eudes Pinto, que comandará o órgão com o secretário de Saúde do Município Sr.. Luiz Carlos do Nascimento.


Audiência Pública

Durante a manhã de hoje (28/02) na Câmara Municipal de Ipu, aconteceu uma audiência pública, promovida pela Associação dos Filhos e Amigos de Ipu (AFAI) com as presenças da promotora de Justiça de Defesa da Saúde Pública, Dr.ª Isabel Maria Salustiano Arruda Pôrto, da coordenadora de Regulação, Avaliação, Auditoria e Controle (CORAC/SESA), Dr.ª Lilian Alves Amorim Beltrão, do Prefeito Municipal, Henrique Sávio Pereira Pontes (PMDB), do diretor do Hospital Filantrópico, Dr. Luiz de Gonzaga Timbó, além de alguns vereadores, secretários, representantes de diversas classes e o povo em geral que compareceu em grande número de pessoas.

Durante a audiência a promotora de justiça. Dr.ª Isabel Pôrto e a Dr.ª Lilian Beltran apresentaram ao público todos os levantamentos feitos pela promotoria e pela secretária de saúde do estado, sobre a situação que se encontra a Saúde Publica do Município de Ipu, foi apresentado aos presentes pela Dr.ª Lilian Beltran através de imagens em tela (Projetor), uma Avaliação da Rede de Assistência à Saúde no Município de Ipu, com dados detalhados sobre os leitos, as necessidades de internações e onde estas internações foram feitas em 2010. O público atentamente ouvia todas as explicações da Técnica de Saúde.

A AFAI, abriu um espaço na audiência para que o público, presente pudesse participar do evento, fazendo suas indagações e perguntas a mesa composta pelas autoridades convidadas (Promotora, Técnica da SESA, Diretores dos Hospitais, Municipal e Filantrópico, Secretário de Saúde e Presidenta da Câmara). Doze perguntas pré cadastradas foram feitas com a mediação do presidente da AFAI, João Tomaz Lourenço Martins (o Tontim), que conseguiu com firmeza e autoridade conter os ânimos da plateia em alguns momentos exaltada.

Em breve aqui no site IN, traremos mais detalhes sobre essa inédita, Audiência Pública em Ipu

Galeria de Fotos

  • Saiba Mais

# AFAI promoverá audiência pública sobre a Saúde Pública de Ipu
# Criada a Autarquia Municipal do Hospital Dr. José Evangelista de Oliveira em Ipu (26/02/2011)
# AFAI promove coletiva de imprensa com a Dr.ª Isabel Pôrto e Dr.ª Lilian Beltrão em Ipu (15/02/2011)

Você ja sabe dança as músicas do Carnaval desse ano? Aprenda aqui no IN

O Carnaval é a festa popular que mexe com todo o Brasil. O povo canta, dança e balança ao som de vários hits. Seja a festa no Rio De Janeiro, Bahia, Recife, Ceará… Não importa o lugar! O que importa mesmo é se divertir com a galera e curtir os dias de folia com alegria e responsabilidade.

Você deve estar pensando agora: “Tá, Mila Santos… alegria e responsabilidade eu já sei que não podem faltar no Carnaval! O que não sei ainda são os hits que prometem bombar nesta época do ano!”

Caro internauta, você realmente não sabia! A partir de agora o site Ipu Notícias te dá uma mãozinha. Veja os vídeos, aprenda as letras, as coreografias e arrase na festa mais popular do Brasil:

Fonte: Jangadeiro On Line

“Tchubirabirom” – Parangolé
Liga da Justiça“ – LevaNóiz
“Minha mulher não deixa não” – Aviões e Reginho
“Chupeta” – Psirico
“Desejo de Amar” – Ivete
“Água” – Cláudia Leitte
“Street Fighter” – JP e Mantena

Ronaldinho antecipa carnaval rubro-negro – Flamengo

Foram 534 minutos em campo com a camisa rubro-negra. Nas seis partidas pelo Flamengo desde que chegou, Ronaldinho Gaúcho não conseguiu, até o momento, repetir as grandes atuações que o fizeram ídolo no Barcelona, no Milan e na Seleção Brasileira. Mas craque, mesmo sem brilhar, pode decidir. E numa cobrança de falta, relembrando outros camisas 10 decisivos, como Zico e Petkovic, o novo ídolo rubro-negro começou a escrever sua história no clube.
Aos 26 minutos do segundo tempo, cobrou com maestria e correu para o abraço.

E, junto com o time, comemorou no embalo do “Bonde sem freio”, rap que vinha embalando os jogadores na semana da decisão, o gol que garantiu, neste domingo, a vitória por 1 a 0 sobre o Boavista e a 19ª Taça Guanabara para o clube, de forma invicta.

Ao fim da partida, todos os jogadores, puxados pelo camisa 10, voltaram a fazer a coreografia do “Bonde do Mengão sem freio”. Ronaldinho comemorou como um garoto que iniciava a carreira. E a torcida do Flamengo, que lotou o Engenhão, vibrou com a primeira conquista da temporada 2011. “Que torcida é essa?”, gritava, eufórica. Com os jogadores já no alto do pódio para receber as medalhas e erguer a taça, cantou o hino do clube. E depois da volta olímpica, Ronaldinho fez questão de chegar próximo da torcida para mostrar a taça. Euforia total.

O gol marcado deu a Ronaldinho a alegria de, também, ser o responsável pelo primeiro grito de carnaval da torcida rubro-negra. O camisa 10, que desfilará na Portela e na Grande Rio, poderá brincar também à vontade no bloco que criou – Samba,.Amor e Paixão – no próximo domingo.

Fonte: globoesporte.com

Ibiapaba terá grandes obras inauguradas até o fim de julho

A reunião do Monitoramento de Ações e Programas Prioritários (MAPP), que aconteceu nos dias 24 e 25, no Pavilhão da Residência Oficial do Governador, definiu um calendário de inaugurações até o fim deste primeiro semestre.

Segundo a Casa Civil, o total de obras em todo o Estado chega aos R$ 2 bilhões, em um total de mais de 120 obras. Dentre as obras em andamento na Serra da Ibiapaba os destaques são o Posto Fiscal de Tianguá e o Aeroporto Regional, em São Benedito.

Em 4 de março, a Escola Profissionalizante de Tianguá será inaugurada, a obra que tem um total de R$8,3 milhões em investimento. Em junho, o DETRAN Regional de Tianguá terá a sua inauguração no dia 8 de abril e o Posto Fiscal, no dia 23 de junho.

Sem datas definidas, a Escola de Ensino Médio, em Várzea do Jiló, no município de Ipu e, para o fim de julho, o Aeroporto Regional, em São Benedito.

FONTE: CORREIO IBIAPABA

Acidente mata sete e deixa três feridos na CE-327

Sete pessoas morreram e três ficaram feridas em um acidente, na noite de ontem, no quilômetro 12 da CE-327, entre os municípios de Guaraciaba do Norte e Croatá.

De acordo com testemunhas, um motorista seguia em alta velocidade quando perdeu o controle em uma curva e atropelou dez pessoas. As vítimas voltavam de uma missa e vinham no sentido contrário ao do condutor.

Segundo populares, o motorista, um homem conhecido como “Cícero”, estava alcoolizado e fugiu do local. Os feridos foram levados para o hospital de Tianguá e para a Santa Casa de Sobral.

Fonte: Jangadeiro On Line

Flores cruzam rota dificultosa para deixar o País

Por trás da beleza das flores cearenses que chegam à Holanda e aos Estados Unidos, existe um espinhoso caminho que entrava a produção e traz prejuízos aos que lidam com a fragilidade dessas peças. São as estradas localizadas no entorno das regiões de cultivo. Muitas de piçarra, são ainda mais castigadas com a chegada do período chuvoso no Estado.

As fazendas localizadas no município de São Benedito, na Serra da Ibiapaba – a 360 quilômetros de Fortaleza, convivem diariamente com a falta de estrutura para o escoamento da produção até a Capital, para ser exportada. Da rodovia mais próxima até a entrada das regiões produtoras, a trilha encontra-se em péssimas condições. Problema antigo, já compartilhado com o Governo Estadual, que promete melhorias. “Você tem um problema porque esses trechos não são asfaltados. São ´carroçais´, e o produtor tem dificuldades no transporte, pois nessa época ou estão esburacadas ou enlameadas, e isso é muito ruim, porque atola caminhão e atrasa o processo”, explica Paulo Selbach, proprietário da Cearosa, uma das produtoras da região serrana.

Solução próxima
Apesar do problema, Selbach já enxerga solução próxima. Segundo ele, findado o período de precipitação, o Governo, através da Secretaria da Infraestrutura (Seinfra), começará a atuar na área, realizando a pavimentação das vias. Conforme a secretaria, em nota, “existe a previsão de incluir no Mapp 2011 (Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários), um repasse de R$ 1,2 milhão a São Benedito, que entra com contrapartida de R$ 141 mil, por ser estrada vicinal”.

Da CE-187 até a fazenda Cearosa, são pouco mais de 1,5 quilômetro. O trajeto parece curto, mas para quem tem pressa em transportar um produto de tamanha perecibilidade, toda ajuda é bem-vinda. Outra zona de cultivo no entorno, a Reijers também receberá essas intervenções, graças ao esforço conjunto dos produtores e da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Floricultura, ligada à Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). “A estrutura sempre precisa estar melhorando, continuadamente. Hoje existe esse problema de estrutura grave na Serra de São Benedito, mas a Câmara teve conversas com o governo, que ficou de recuperar”, garante o presidente da entidade Gilson Gondim.

Frete caro
Mais próximo da Capital, a cerca de 100 quilômetros, o Maciço de Baturité, com seus pequenos produtores de flores, possui estradas bem mais convidativas ao direcionamento da colheita, mas esbarra nos altos valores de quem precisa viajar nos ônibus intermunicipais, meio prioritário de dar vazão à produção. Há poucos anos, os agricultores pagavam R$ 4 para que a carga fosse levada a Fortaleza.

Com a venda da antiga companhia, o frete foi elevado, inviabilizando o transporte de flores e vasos. “O produtor, hoje, para mandar a um preço razoável, precisa enviar um funcionário como passageiro, o qual leva o produto como mala. Antes despachava como carga, R$ 4 numa caixa. Agora é R$ 20. Tem que mandar o trabalhador ir e voltar. Além do custo elevado, tem o operário, que faz falta na produção”, lamenta Gondim.

E as dificuldades não acabam nem quando, enfim, os produtos chegam a Fortaleza. A Capital cearense carece de aeronaves de carga que levem as flores para a Europa, dentre outros destinos. Ao chegarem ao Aeroporto Internacional Pinto Martins, as peças ficam à espera de vagas em voos comerciais, espaços que rareiam à medida em que chega a alta estação.

Falta cargueiro
Uma das soluções discutidas pelo setor é uma articulação com produtores de frutas e camarão para viabilizar um cargueiro que faça a rota Fortaleza – Amsterdã, de forma que os embarques sejam compartilhados. “Encher um cargueiro com capacidade para 40 toneladas só de planta é inviável. Mas existem demandas para melão, mamão e camarão. Queremos fazer uma carga mista para mandar à Europa”, explica Gondim.

Enquanto o intento não sai do papel, as flores, com vida útil de 15 dias a partir da colheita, ficam estocadas nas câmaras frias do aeroporto, gerando mais despesas e corroborando com os índices de 30% de perdas na produção.(DB)

CONDIÇÕES DE ACESSO
Imediações da Capital são gargalo para escoar frutas
Obras que poderiam ajudar no escoamento da produção seguem paradas. Rodovias federais estão críticas
Dos perímetros irrigados até a chegada na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), os produtores de frutas do Estado não têm muitas reclamações com relação às condições do acesso por meio rodoviário. Boa parte foi recuperada recentemente, e eles só alertam para que sejam realizadas ações constantes de manutenção das vias, para que não haja problemas nas próximas safras. Mas quando se chega nas imediações da Capital, os gargalos ficam evidentes. Obras, que poderiam ajudar fortemente no escoamento da produção, seguem paradas; rodovias federais encontram-se em estado crítico e projetos há muito demandados continuam sem execução.

Anel viário
Uma das principais queixas é com relação aos trabalhos de duplicação do Quarto Anel Viário, que facilitaria o trajeto de quem vem do Interior e quer se dirigir ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém. O projeto ainda está em fase de estudos pelo governo. As intervenções na BR-116 e o percurso que liga o Caça e Pesca à Sabiaguaba, o qual auxiliaria os que precisam ir ao Porto do Mucuripe, seguem, respectivamente, paralisadas e em licitação. Enquanto isso, sobram prejuízos.

“De uma fazenda de Mossoró, de Limoeiro, ou de Quixeré (em média, a 200 quilômetros da Capital), o caminhão leva o mesmo tempo até Fortaleza, de quando sai da BR-116 em direção ao Porto do Pecém. De tão ruim que são as condições de trafegabilidade, estamos nos preocupando com os acidentes. Temos pontos muito ruins, que é a chegada na rotatória da Ceasa, onde tem um congestionamento muito longo, e as péssimas condições da rotatória de Maranguape, onde alguns caminhões já sofreram acidentes, chegando a tombar. A solução, sem dúvida, é a duplicação do Quarto Anel Viário”, reclama o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Fruticultura, Edson Luiz Brok.

A expectativa é que com a conclusão dessas obras, especialmente a da Sabiaguaba, os caminhões com carga não precisem mais trafegar pelas avenidas de grande movimentação de veículos da Capital, como a Raul Barbosa, e a Via Expressa, gerando congestionamentos.

Aeroporto é uma queixa
Assim como a cadeia das flores, as frutas também carecem de um avião cargueiro para mandar a produção para o exterior ou para outros destinos nacionais. Mas a maior queixa dos produtores fica por conta do Terminal de Cargas Doméstico, que não possui condições de dar conta das demandas dos aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro; de Guarulhos e de Cumbica, em São Paulo; e dos localizados no Sul do País; dentre outros. “Faltam melhores condições de armazenagem e até de acesso, a partir da Avenida Senador Carlos Jereissati. É tudo muito apertado”, explica Brok.

Portos em melhor situação
A opinião de quem trabalha com frutas é que a situação no Porto do Pecém está melhor. As condições de acessibilidade na região são boas, e a infraestrutura do pátio está mais compatível com a demanda, ainda mais com as novas tomadas que foram instaladas, facilitando aos que precisam acomodar os contêineres frigoríficos de maneira adequada. As condições devem ficar ainda mais favoráveis com a conclusão do Terminal de Múltiplo Uso. Apesar da boa fase, a sugestão de quem precisa estar constantemente no terminal portuário é que seja implantado sistema de pré-agendamento, para que se possa ter um controle das cargas. O Porto do Mucuripe também não recebe muitas queixas. (DB)

OTIMIZANDO CUSTOS
Tecnologia promete enviar botões em navios
A integração entre os modais rodoviário e aéreo em Fortaleza, no caso das flores, ainda não é eficiente, carecendo de maior articulação. Mesmo assim, o setor sai na frente e já estuda novas maneiras de enviar a produção para o exterior com aproveitamento maior e custos mais amenos. A ideia, em desenvolvimento por pesquisadores holandeses e produtores locais, é transportar os itens em contêineres herméticos, com atmosfera controlada, a bordo de navios cargueiros.

À primeira vista, não parece viável enviar flores em embarcações que levam, em média, sete dias para chegar ao Porto de Roterdã, na Holanda. O risco de perdas, aparentemente, é grande. Entretanto, o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Floricultura, Gilson Gondim, garante que, com o advento da tecnologia, as peças mantêm-se intactas até terem contato novamente com o ar atmosférico, quando voltam ao seu estágio natural de desgaste. “O problema é conseguir manter esse produto sem estragar. O que prejudica as flores são os fungos e bactérias, e dentro desses contêineres, elas estarão isoladas disso. Existem estudos com atmosfera de gás hélio em que as rosas ficam intactas. Claro que isso envolve outros fatores, como temperatura e umidade, por exemplo”, elucida.

A técnica ainda está em testes, mas o custo é considerado “baixíssimo”. Para se ter uma ideia, caso a carga seja mandada pelo ar, o produtor gasta em média US$ 2,20 por quilo do produto. Com os depósitos isolados, o valor cai para US$ 0,30 o quilo.(DB)

SOMENTE PARA INSUMOS
Ferrovia não é o centro das atenções
A ferrovia que cruzará o Ceará de cima a baixo promete grandes mudanças na infraestrutura logística local, mas ainda não está no centro das atenções dos produtores de frutas do Estado no que tange ao transporte da mercadoria para os principais polos de escoamento. A ideia é que, em um momento inicial, a estrada de ferro dê suporte à cadeia com a distribuição de insumos e outros produtos importantes entre os estados do Nordeste.

Para o presidente da Cadeia Setorial de Fruticultura do Estado, Edson Luiz Brok, ainda não há grandes atrativos para que o encaminhamento da colheita seja feito por via férrea.

Dimensionamento
Conforme explica, isso dependerá de outros fatores, os quais sem a finalização do projeto, não podem ser dimensionados. “Um veículo termina de ser carregado e segue direto para o Porto, enquanto se você pensar na ferrovia, precisaremos de um terminal para contêineres com geradores de energia. Não chegamos nessa excelência ainda, mas nunca se sabe”, avalia.

A preferência pelo sistema rodoviário, ainda que possua seus problemas, se dá pela maior rapidez com que as frutas chegam a seus destinos, quando comparada à velocidade de outros países da América Latina.

Das zonas produtoras aos portos, com embarques semanais, a chegada ao primeiro destino, na Europa, ocorre em até sete dias. Em no máximo 12, o produto está disposto nas gôndolas dos estabelecimentos, marca considerada “excelente”.

Fonte: Diario do Nordeste

Tentativa de Assalto a comércio em Varjota

Dois elementos armados assaltaram no inicio da noite deste sábado o mercantil Central das Balas, que fica localizado na Av. Pres. Castelo branco, no centro de Varjota.

A ação aconteceu por volta das 19h e 30 min, quando aproveitando um momento em que chovia na cidade, os bandidos chegaram numa motocicleta e rapidamente anunciaram e efetuaram o assalto.

No momento em que a dupla iniciava a fuga acabou colidindo em um veículo, sem tempo, os vagabundos seguiram correndo “a pé” pela Rua Modesto Mendonça.

Pouco tempo depois a policia capturou dois elementos em atitude suspeita. Tatam-se dos irmãos Márcio e Diassis gavião, que foram levados para delegacia para averiguação.

Fonte: Varjotahoje.com

Transporte precário diminui frequência escolar no Ceará, diz pesquisa

O tradicional pau de arara ainda é o meio mais usado no transporte escolar no estado do Ceará. Quase 60% da frota é composta pelos carros adaptados, porém inadequados, segundo o Tribunal de Contas do Estado. O dado foi apresentado na edição deste domingo (27) do jornal O Globo (Rio de Janeiro). O estudo foi realizado em todo o país pela União Nacional dos Dirigentes de Educação (Undime), que aponta a precarização desses veículos como a motivação para os alunos deixarem de comparecer às aulas.

Mesmo com a transferência de R$ 30 milhões, pelo governo do Estado, para os municípios cearenses melhorarem o serviço, os usuários classificam como ruim. Somente em 2009 e 2010, os acidentes envolvendo o transporte escolar cearense fizeram oito vítimas fatais. Um dos mais emblemáticos foi a criança de 2 anos que caiu num buraco do piso de um ônibus em movimento. O fato aconteceu em Limoeiro do Norte (Vale do Jaguaribe).

Cada prefeitura do Brasil recebe do governo federal cerca de R$ 145 para cada estudante, quando o gasto total sai por R$ 876, segundo a pesquisa. Quando algum governador libera recurso, como no caso do Ceará, a soma alcança apenas 30%, de acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM). A instituição calculou um gasto de 1,2 bilhão por ano com os custos dos transportes. Logo, a manutenção dos carros tem sido mal feita.

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, revelou ainda que a situação pior é na Região Nordeste. Existem carros rodando há 19 anos. Os dados mostram que devido a essas dificuldades, a evasão escolar aumentou nos últimos anos. No ensino médio o percentual é de 15%, enquanto no ensino fundamental passa dos 11%.

Fonte: do jornal O Globo

Escrivão do Polícia denúncia a falta de condições de trabalho em Ipu

É flagrante a falta de condições de trabalho e de estrutura física nas unidades policiais em todo o país, vale ressaltar que o Governo do Estado do Ceará, tem ao longo destes quatro anos de mandato do Governador, Cid Gomes, construído muitas delegacias em todo o estado.

Em todas as delegacias o efetivo é aquém do previsto em lei, o escrivão trabalha sobrecarregado e além de suas condições físicas e humanas, dificultando o trabalho e os resultados.

Em Ipu, o escrivão da polícia, Portela, denúncia as condições precárias de trabalho, a falta de um espaço físico e a cobrança prejudica e muito o andamento dos processos criminais em Ipu.

O Escrivão, Portela diz ter sofrido muita pressão, e cobra a falta de um ventilador em sua sala e reclama do computador que trava a todo momento.

Veja no vídeo abaixo a reclamação do Escrivão da Polícia Civil de Ipu
ao repórter Júnior Ximenes.

Delegacia de Ipu

Atualmente a Delegacia de Polícia Civil em Ipu, funciona em um casa residencial improvisada com delegacia e sem nenhuma estrutura física para dar condições adequadas de trabalho.

De Acordo com o prefeito de Ipu, Sávio Pontes (PMDB), em entrevista as rádios de Ipu, o Governo do Estado em parceria com município construirá um Delegacia no prédio onde funciona hoje o Matadouro Público, que está sendo construído um novo prédio em outro lugar.